Pastore Car Collection

ver filtros
Categorias
Fabricante
Ano
Opcionais

Honda CB 400 II

Cancelar oferta

Oferta para o veículo CB 400 II 1983

Cancelar compartilhamento

Honda CB 400 II

  • Informações Gerais

    Marca: Honda
    Modelo: CB 400 II
    Ano Fabricação/Ano Modelo: 1983/1983
    Cor: Dourado
    Quilometragem: 12.800
    Dimensões - Comp./Largura/Altura (mm): 2095/765/1110
    Ocupantes: 2
    Valor: R$ 25.000,00

  • Mecânica e Segurança

    Combustível: Gasolina
    Motor: 395 cm³
    Potência: 40 CV
    Velocidade Máxima: 160 Km/h
    Câmbio: Manual - 6 Velocidades
    Tração: Traseira
    Aceleração 0-100km/h: 7,0 Segundos
    Freios: Disco Dianteiro e Tambor Traseiro

  • Acessórios/Opcionais

  • Informações Extra

    País de Origem: Brasil

ATENÇÃO! Devido a grande rotatividade em nosso estoque, se faz necessário a consulta diretamente em nossa loja para certificar de que o veículo ainda se encontra sob nossos cuidados. O valor do anúncio deve ser confirmado, pois o mesmo pode ter sido ajustado em nossa loja e ainda não ter sido modificado neste site. Obrigado pela compreensão. Pastore Car Collection.

Observações

Honda CB400II 1983/1983 na cor Dourada. Moto em raro estado de conservação, apenas 12.800KM.

Motor 2 Cilindros, potência de 40 cv a 9.500 rpm, torque máximo de 3,2 m.kgf a 8.000 rpm
O desempenho atendia bem a qualquer necessidade: velocidade máxima próxima a 160 km/h e aceleração de 0 a 100 km/h em cerca de 7 s.

A notícia não poderia ser melhor para os motociclistas de alto poder aquisitivo: quatro anos depois do fechamento das importações, o mercado nacional ganhava uma nova moto de média cilindrada — 400 cm³ –, moderna e eficiente. Se não substituía à altura a “sete-galo” (as CB 750 K e F, aqui vendidas de 1969 a 1976), ao menos representava uma ascensão significativa sobre as pequenas 125 e 180, únicas opções nacionais até então.

Foi com euforia que os brasileiros receberam, no início de 1980, a notícia de que a Honda CB 400 seria produzida aqui, embora com baixo índice de nacionalização, apenas 15% . Na época do lançamento, em junho, a produção daquele ano já estava vendida. Derivada do modelo de dois cilindros vendida na Europa e nos Estados Unidos (alguns mercados recebiam também a 400F, de quatro cilindros), era uma estradeira moderna, com certa esportividade e desempenho incomparável no mercado da época.

Pintura dourada, guidão mais alto e freio dianteiro a disco duplo marcavam a versão 400 II, lançada já em 1981.

Outros veículos sugeridos: