Pastore Car Collection

ver filtros
Categorias
Fabricante
Ano
Opcionais

GM Opala SS

Cancelar oferta

Oferta para o veículo Opala SS 1974

Cancelar compartilhamento

GM Opala SS

  • Informações Gerais

    Marca: GM
    Modelo: Opala SS
    Ano Fabricação/Ano Modelo: 1974/1974
    Cor: Amarelo Cajú
    Portas: 2
    Dimensões - Comp./Largura/Altura (mm): 4570/1760/1380
    Ocupantes: 5
    Valor: R$ 90.000,00

  • Mecânica e Segurança

    Combustível: Gasolina
    Motor: 4.1 - 6 Cilindros
    Potência: 140 CV
    Velocidade Máxima: 178,3 km/h
    Câmbio: Manual - 4 Velocidades
    Tração: Traseira
    Aceleração 0-100km/h: 11,3 Segundos
    Freios: Disco Dianteiro e Tambor Traseiro
    Rodas: R14
    Direção Hidráulica: Sim

  • Acessórios/Opcionais

    Sistema de Som: Rádio AM

  • Informações Extra

    País de Origem: Brasil

ATENÇÃO! Devido a grande rotatividade em nosso estoque, se faz necessário a consulta diretamente em nossa loja para certificar de que o veículo ainda se encontra sob nossos cuidados. O valor do anúncio deve ser confirmado, pois o mesmo pode ter sido ajustado em nossa loja e ainda não ter sido modificado neste site. Obrigado pela compreensão. Pastore Car Collection.

Observações

Chevrolet Opala SS 1974/1974 na cor Cajú. Veículo em ótimo estado! Todo restaurado!

Motor Chevrolet 4100 (250 pol³) de 6 Cilindros em linha de 4098cm³ de 140 cv a 4000RPM e 29 kgfm a 2400RPM (Bruto) ou 115CV a 3800RPM e 26Kgfm entre 1600 e 2400RPM (Líquido).

"Uma versão esportiva do Opala já era objeto de especulação no início de 1970. Dizia-se que teria um tempero mais picante, com direito a carburadores duplos ou triplos. A fantasia se confirmou, mas com receita bem mais branda. Estreando já como modelo 1971, o SS, ao lado do Gran Luxo, vinha completar a linha já composta pelas versões Especial e De Luxo. Aos novatos cabia inaugurar o motor 4100 de seis cilindros, com potência bruta de 140 cavalos. O ganho de 23 cavalos em relação ao 3800 já existente proporcionava uma velocidade máxima de 169,49 km/h, valor muito bom para a época.
Para não dizer que a esportividade do SS se resumia à aparência, vale dizer que ele trouxe para a família câmbio de quatro marchas com alavanca no assoalho. Também eram novidade os bancos dianteiros individuais.
A cara de mau do carrão era neutralizada pelas quatro portas. Porém, o modelo 1972 estreava a carroceria cupê, cujos destaques eram ausência de coluna central, janelas sem molduras e caída fluida da traseira. O novo formato parecia ter sido feito para o SS e se tornaria o padrão da versão até o fim da vida dela, em 1980. Os primeiros sedãs passariam para a história como figurinhas difíceis para o "álbum" de colecionadores.
Como as alterações do SS eram basicamente estéticas, sua marca foi a variedade de formas das faixas externas, que mudavam conforme o ano e o modelo. Acompanhando a família, sofreu reestilização leve em 1973, com as setas passando às laterais dianteiras dos para-lamas. Mudanças maiores de estilo ocorreriam a partir da linha 1975, que ganhava novo capô, luzes de seta inspiradas no Chevelle 1971 e os dois pares de lanternas redondas que davam um toque de Impala ou Camaro à traseira." (Quatro Rodas)

Outros veículos sugeridos: