Pastore Car Collection

ver filtros
Categorias
Fabricante
Ano
Opcionais
Vendido

GM Impala Coupe

GM Impala Coupe

  • Informações Gerais

    Marca: GM
    Modelo: Impala Coupe
    Ano Fabricação/Ano Modelo: 1967/1968
    Cor: Vermelho Matador
    Portas: 2
    Quilometragem: 50.449 milhas
    Dimensões - Comp./Largura/Altura (mm): 5453/2021/1417
    Ocupantes: 6

  • Mecânica e Segurança

    Combustível: Gasolina
    Motor: 5.0 V8
    Potência: 200 HP
    Velocidade Máxima: 169 km/h
    Câmbio: Automático - Powerglide de 2 Velocidades
    Tração: Traseira
    Rodas: Magnum 500
    Direção Hidráulica: Sim

  • Acessórios/Opcionais

    Bancos: Vinyl Black
    Sistema de Som: Cd Player + MP3 Pioneer

  • Informações Extra

    País de Origem: EUA

ATENÇÃO! Devido a grande rotatividade em nosso estoque, se faz necessário a consulta diretamente em nossa loja para certificar de que o veículo ainda se encontra sob nossos cuidados. O valor do anúncio deve ser confirmado, pois o mesmo pode ter sido ajustado em nossa loja e ainda não ter sido modificado neste site. Obrigado pela compreensão. Pastore Car Collection.

Observações

Lindo Chevrolet Impala 307 V8 1968! Na cor Matador Red, carro com mecânica e suspensão impecáveis, uma verdadeira raridade!! Motor V8 307 pol³ (5.0 Litros) com leve preparação, quadrijet, comando, distribuidor, bobina e coletor. Deve render em torno de 25CV a mais que a potência original de fábrica que é de 200HP a 4600rpm e 41,47 Kgfm de torque a 2400rpm
- Caixa Powerglide de 2 Velocidades, rodas Magnum 500 com pneus Yokohama Radial 352, botão para alterar o ronco do motor no porta luvas (altera o escapamento)  e manual do proprietário
O modelo correto é 1968 mas no documento consta como 1967/1967!
O Impala  é um dos mais belos modelos já criados pela Chevrolet
Mais de 5,4 metros de comprimento, 145 a 280 cv de potência, carroceria hardtop ou conversível, seis lanternas circulares... Com essas características e um vasto catálogo de equipamentos, a linha Bel Air 1958 incluía o superior Bel Air Impala para coroar o aumento das dimensões nos novos Chevrolet - o nome Impala vinha de um carro-conceito de 1956. A marca começava a se render ao gigantismo e ao excesso de cromados que assolavam Detroit.
O Impala oficializava que tamanho era documento, e que devia ser acompanhado por mais vigor. Os Chevrolet estreavam um V8 de bloco grande, com 5,7 litros e 250 ou 315 cv. Molas helicoidais traseiras aposentavam o feixe de molas. A extravagância era notada também no desenho, com faróis duplos. Tinha lanternas triplas, que se tornariam símbolo do modelo. Havia os V8 de bloco pequeno de 185 e 230 cv, mais o seis-cilindros de 145 cv.
Para 1959, o Impala abandonava seu vínculo com o Bel Air, que passava a ser uma série intermediária, acima do Delray e o Biscayne. O Impala se tornava o topo-de-linha. Na prática, só havia dois Chevrolet de passeio: o full-size (tamanho grande) - dividido por séries com variações de acabamento - e o Corvette. O modelo 1960 receberia desenho simplificado e nova gama de motores que, chegava a 335 cv. E foi a linha 1961 que inaugurou a vertente esportiva do Impala, com o pacote SS, para o cupê e o conversível, com câmbio manual no assoalho, conta-giros e reforços de suspensão, chassi e freios. Podia vir com bancos dianteiros individuais ou o novo V8 6.7 de 360 cv.
A partir daí a Chevrolet só manteve a fórmula. Fazia atualizações anuais de estilo e vitaminava seus V8. O Impala 1962 ganhou estilo mais comedido, o cupê perdia o desenho "bubbletop" das colunas traseiras (que pareciam formar uma bolha) por traços retos e formais. Dos 1,4 milhão de Chevrolet grandes vendidos naquele ano, 50% eram Impala.
O leque dos V8 para 1963 chegava a 430 cv, mas com espaço para um seis-cilindros de 3,8 litros e 140 cv, semelhante ao do nosso Opala 1968. Um ano depois o SS era promovido de pacote a uma série própria. Já na linha 1965 os contornos curvos do Impala faziam alusão à garrafa da Coca-Cola, especialmente se fosse o cupê, com seu estilo fastback.
Agora era o sedã que dispunha de um pacote próprio, o Caprice, com itens de luxo. Foi o nome que a Chevrolet usou para dissolver um mito, na esperança de criar outro, como fizer a com o Bel Air em 1958. Em 1966 o Caprice se tornou a série superior dos Chevrolet grandes. Uma nova geração de full-size veio em 1971 e outra em 1977.

Chevrolet Impala 1968 (1).JPG

Outros veículos sugeridos: