Pastore Car Collection

ver filtros
Categorias
Fabricante
Ano
Opcionais

Ford Maverick GT

Cancelar oferta

Oferta para o veículo Maverick GT 1974

Cancelar compartilhamento

Ford Maverick GT

  • Informações Gerais

    Marca: Ford
    Modelo: Maverick GT
    Ano Fabricação/Ano Modelo: 1974/1974
    Cor: Prata
    Portas: 2
    Quilometragem: 64.554
    Dimensões - Comp./Largura/Altura (mm): 4590/1790/1370
    Ocupantes: 5
    Valor: R$ 250.000,00

  • Mecânica e Segurança

    Combustível: Gasolina
    Motor: 302 V8
    Potência: 199 CV
    Velocidade Máxima: 182 km/h
    Câmbio: Manual - 4 velocidades
    Tração: Traseira
    Freios: Disco Dianteiro e Tambor Traseiro
    Rodas: Liga leve R17
    Direção Hidráulica: Sim

  • Acessórios/Opcionais

    Bancos: Em couro
    Sistema de Som: Rádio AM/FM + CD Player + MP3

  • Informações Extra

    País de Origem: Brasil

ATENÇÃO! Devido a grande rotatividade em nosso estoque, se faz necessário a consulta diretamente em nossa loja para certificar de que o veículo ainda se encontra sob nossos cuidados. O valor do anúncio deve ser confirmado, pois o mesmo pode ter sido ajustado em nossa loja e ainda não ter sido modificado neste site. Obrigado pela compreensão. Pastore Car Collection.

Observações

Ford Maverick GT 1974/1974 na cor prata. Veículo em ótimo estado de conservação, original GT de Plaqueta LB5EPT.

Carro todo restaurado, mecânica toda feita, motor novo.
Carburador Quadrijet 600 Edelbrock. Caixa e diferencial revisados.
Ignição eletrônica, comando Summit 278 x 290 (para turbo).
Suspensão toda nova original, ajustada pelo Beto Paraná.
Rodas em alumínio 17", Sistema de freio com hidro vácuo, pneus novos.
Toda estofaria nova, feita pela Estofaria Catarinense.

Motor 8 cilindros em V (4.950 cm³) com potência de 199CV (197HP) a 4.600 RPM e torque de 39,5kgfm a 2.400 RPM. Câmbio de 4 marchas no assoalho.

No início dos anos 70, a Ford do Brasil, que havia incorporado recentemente a Willys, possuía no segmento de carros médios – padrão família – apenas os antiquados Aero e o pequeno Corcel, que não conseguiam fazer frente aos concorrentes de mercado.

A solução encontrada foi tentar aproveitar algum projeto já existente, para que os custos fossem baixos, e entre as opções encontradas, os ecolhidos eram o Ford Taunus, montado na Alemanha e o Ford Maverick, fabricado nos EUA. Algumas clínicas de opinião com potenciais consumidores foram realizadas, tendo sido vencedor o modelo Taunus. Porém, percebeu-se que o motor planejado para equipar o novo carro, o Willys de 6 cilindros não cabia no compartimento. Para agravar a situação, a fábrica de motores da FORD na cidade de Taubaté/SP só ficaria pronta em 1975.

Desta forma, a opção foi mudar o carro escolhido e o Maverick foi definido como a opção para ser o novo Ford brasileiro.

Lançado em Maio de 1973, sob o entusiasta slogan “A fórmula Ford contra a rotina”, o Maverick estreou no mercado com o conhecido motor Willys de 6 cilindros além do desejado motor V8, que gerou espera de até 12 meses pelo esportivo modelo GT.

Um fator externo foi determinante na trajetória do Maverick, a crise mundial de petróleo, que elevou sensivelmente os preços dos combustíveis e gerando até a escassez do produto. Este acontecimento fez com que as vendas de veículos grandes, pesados e com consumo elevado de combustível deixassem de ter interesse no consumidor.

Em 1975, com a inauguração da fábrica de motores, é lançada a versão equipada com o novo motor de 4 cilindros, que prometia consumo mais brando e assim, poderia oferecer mais uma opção de motorização, ampliando a linha de veículos e as opções aos consumidores.

As versões de acabamento oferecidas inicialmente eram a STD (standard), a SL (super luxo) e a GT (gran turismo), esta última, representando o veículo esportivo. Além das opções de motores, também existiam as opções de carrocerias, que podiam ser Cupê (2 portas) ou Sedan (4 portas); exceto para o GT, que sempre foi Cupê.

Em 1977, com vendas baixas, a Ford promoveu uma série de mudanças, alterando padrões de acabamento e de detalhes estéticos, tanto externos quanto internos. Surgiu a versão LDO (luxuosa decoração opcional), que possuía inúmeros itens de conforto mecânico e de acabamento, como câmbio automático, ar quente, direção hidráulica e motor V8. Externamente, as mudanças neste ano foram novas grades, emblemas frontais, frisos diferentes e um novo conjunto de lanternas traseiras, maiores e com três divisões. O modelo GT recebeu nova padronagem de faixas decorativas e as falsas entradas de ar no capô.

Em Abril de 1979, não sustentando mais a queda nas vendas e com o lançamento do Ford Corcel II que tinha o mesmo público-alvo, o Maverick saiu de linha, após terem sido fabricados 108.106 veículos em todas as versões e modelos.

Outros veículos sugeridos: